Tipos de controle do carrapato no rebanho

O carrapato Boophilus microplus é um ácaro tropical muito comum no Brasil. Trata-se de um ectoparasita hematófago, que causa sérios prejuízos à pecuária de corte e de leite mesmo em infestações moderadas. Felizmente, esse inimigo do rebanho e dos pecuaristas pode ser eliminado com o controle sobre o hospedeiro e o controle fora o hospedeiro.

Problemas causados pelo carrapato


Ao se alimentar com sangue, o carrapato causa anemia nos bovinos, o que afeta o bom desempenho do rebanho. Quando infesta um bezerro, por exemplo, esse ectoparasita pode até mesmo levar o animal à morte. Como causa alergia, o bovino se torna irritado, o que o impede de se alimentar bem. Como resultado, sua produtividade é comprometida.

Um processo alérgico em grau avançado causa feridas no bovino, o que pode resultar em outras infecções. Sem falar que o carrapato é vetor de outros parasitas, como anaplasma marginali, babesia bigemina e babesia bovis, causadores da TPB – Tristeza Parasitária Bovina. Essa doença apresenta alta mortalidade e acomete especialmente bezerras em desmame e pós-desmame.

Controle sobre o hospedeiro


O controle do carrapato sobre o hospedeiro pode ser realizado com o uso de raças bovinas resistentes. Essa resistência vem do cruzamento entre raças e da seleção daquelas menos sensíveis ao ectoparasita. Sem falar do uso da vacina biológica, conhecida como GavacÒ, que reduz o número de carrapatos no rebanho em até 65%.

Além dessas medidas de controle, o uso de carrapaticidas é a prática mais comum entre os pecuaristas. Entretanto, alguns cuidados, como a concentração correta do produto e a frequência da aplicação, são necessários para evitar a resistência do ectoparasita ao produto e tornar o tratamento eficiente.

Os melhores carrapaticidas do mercado são as avermectinas, as formamidinas, os piretroides e os organofosforados. Sua aplicação pode ser realizada de várias formas, inclusive, por pulverização. Vale destacar que a prescrição desses químicos deve ser feita por médico veterinário para evitar possíveis contaminações por excesso do produto.

Controle fora do hospedeiro


Quanto ao controle do carrapato fora do hospedeiro, ele pode ser realizado com a rotação de pastejo, ou seja, a desocupação da pastagem, até a morte natural das larvas do carrapato. Outro método eficiente é a implantação de lavouras para a recuperação da pastagem. Nesse caso, como não há rebanho para se alimentar, o ectoparasita morre.

Existem também gramíneas repelentes, que afastam ou até mesmo matam o carrapato. Como exemplos, podemos citar o capim-elefante, o capim-gordura e o capim-andropogon. Fora o controle biológico com a soltura de inimigos naturais do carrapato na área. Este último ainda está em fase de estudos.

Conheça os Cursos CPT da Área Gado de Leite:

Controle de Carrapato, Berne e Mosca-dos-Chifres

Conforto Animal para Maior Produção de Leite

Manejo Sanitário de Bovinos para Produção Orgânica de Leite

Fonte: Tecnologia no Campo

Por Andréa Oliveira

Mais Artigos Relacionados

Quais as principais vantagens da pesagem de bovinos?

A pesagem dos bovinos é uma prática indispensável em todas as fases da criação, pois permite ao pecuarista avaliar o ganho de peso do animal, o índice de desenvolvimento do animal e o potencial de produção da pastagem. Por meio dela, também é possível pesquisar os indicadores econômicos do rebanho e selecionar os animais para melhoramento genético.

Como cuidar da saúde do úbere das vacas leiteiras?

Cuidar da saúde do úbere das vacas leiteiras é primordial para produzir leite de qualidade. Um dos principais cuidados para a manutenção de um úbere saudável é com a alimentação da vaca leiteira, que deve ser rica em vitaminas e minerais, principalmente vitamina A, vitamina E, cobre, selênio e zinco.

Tudo o que você precisa saber sobre feno

O feno pode ser composto por aveia (Avena sativa), azevém (Lolium multiflorum), cevada Hordeum vulgare), coast-cross (Cynodon dactylon) e outras gramíneas. Além disso, ele pode ser constituído de algumas espécies leguminosas, como alfafa (Medicago sativa) e trevo (Trifolium). Entretanto, elas devem ser cortadas antes da floração.