Saiba tudo sobre a raça bovina Nelore

No Brasil, a fama do Nelore teve início, em 1950, com a participação do bovino em provas de peso. “O rápido ganho de peso, além da precocidade, rusticidade e resistência tornaram a raça Nelore conhecida em todo o território nacional”, ressalta Paulo Eduardo Fonseca Loureiro, médico veterinário, Mestre em Produtividade Animal e professor do Curso CPT Cruzamento Industrial Red Angus X Nelore.

Além disso, a vaca Nelore é considerada uma boa parideira e geradora de bezerros vigorosos e saudáveis. Todos esses atributos tornam o gado Nelore um negócio rentável e promissor, tanto que o rebanho tem dominado o setor pecuário nacional. Com o melhoramento genético, ao longo dos anos, os bovinos Nelore aprimoraram suas aptidões para produção de carne de qualidade, com alto valor agregado.

Embora algumas linhagens do Nelore tenham apresentado aptidão para produção de leite, no Brasil, o predomínio é a produção de carne. Como a criação de bovinos Nelore para abate é mais lucrativa e requer menos mão de obra, os pecuaristas preferem investir nesses animais para frigorífico. Atualmente, o cruzamento tropical para corte de Nelore com Nelore tem apresentado ótimos resultados econômicos.

Características físicas do Nelore fundamental


Nos bovinos Nelore fundamental, predominam a pelagem branca e cinza clara. Há também bovinos com pelagem vermelha, bem como mesclada em vermelha e branca ou preta e branca. Seus chifres são curtos, mas há também Nelores mochos. Quanto ao crânio do bovino, ele é comprido e em forma de ataúde. Além disso, o animal apresenta arcadas orbitárias não proeminentes, bem como perfil semiconvexo ou levemente convexo.

Características físicas do Nelore majestático


Nos bovinos Nelore majestático, os chifres são variados. O mais comum é o chifre estaca curta, além do chifre misorado (longo ou curto), com pontas voltadas para a frente. Há também o chifre penteado para trás, para a lateral ou para baixo. Alguns animais Nelore apresentam chifre lirado (alto ou baixo), ou ainda chifre livre, sem descrição. Por fim, temos o chifre sem suporte ósseo no crânio, conhecido como chifre banana.

Suas orelhas são curtas e lembram uma lança. Seus olhos são elípticos e, na lateral, uma linha paralela passa por eles e pela base dos chifres. Já na parte frontal, uma linha perpendicular passa pelos olhos e pela base dos chifres. Quanto à marrafa, ela é estreita, com uma linha reta ou semicôncava. A giba do animal apresenta tamanho médio, com comprimento idêntico ao do crânio nos machos.

Conheça os Cursos CPT da Área Gado de Corte.

Leia o artigo "Seleção de bovinos para reprodução."

Fonte: cpt.com.br

Por Andréa Oliveira.

Mais Artigos Relacionados

4 importantes etapas da transferência de embriões em bovinos

A transferência de embriões remove embriões do trato reprodutivo da fêmea doadora e os transfere para fêmeas receptoras. Trata-se de uma importante ferramenta para incremento da oferta de material genético melhorado, capaz de colaborar com a multiplicação do rebanho, geneticamente superior, facilitando sua disseminação.

Saiba mais sobre a raça bovina Angus

A raça bovina Angus é escocesa e vem do cruzamento entre as fêmeas e os machos da linhagem Aberdeen Angus. O registro oficial da raça remonta a 1860, sendo, portanto, um dos bovídeos mais antigos dentre tantos outros. No Brasil, mais especificamente em Bagé (Rio Grande do Sul), o Angus foi introduzido na pecuária de corte em 1906.

Dicas de plantio de cana para alimentar o gado de leite

A performance produtiva do rebanho leiteiro depende do manejo alimentar. Quando realizado com eficiência, os resultados são excelentes, com aumento da produção de leite de qualidade. Um dos alimentos fornecidos ao gado é a cana-de açúcar, principalmente quando enriquecida com ureia. Entretanto, o produtor deve seguir alguns cuidados no plantio.