Saiba mais sobre a raça bovina Angus

A raça bovina Angus é escocesa e vem do cruzamento entre as fêmeas e os machos da linhagem Aberdeen Angus. O registro oficial da raça remonta a 1860, sendo, portanto, um dos bovídeos mais antigos dentre tantos outros. No Brasil, mais especificamente em Bagé (Rio Grande do Sul), o Angus foi introduzido na pecuária de corte em 1906. Aqui, os pecuaristas passaram a fazer o cruzamento do Angus com o Menelik, raça bovina uruguaia.

Aberdeen Angus e Red Angus


Hoje, principalmente na região Sul do país, as raças Aberdeen Angus e Red Angus são as mais comuns, ambas pertencentes ao grupo Aberdeen. Embora com nomes diferentes, elas correspondem à mesma raça, que pode apresentar a pelagem avermelhada (daí o nome Red Angus). A cor vermelha vem do gene recessivo, independentemente se a vaca e o touro (pais) apresentam pelagem preta.

Características gerais


As fêmeas da raça Angus apresentam alta fertilidade e longevidade, o que é bastante vantajoso ao pecuarista. Normalmente, quando bem manejadas, elas geram novilhos precoces, com bom ganho de peso. Isso porque apresentam ótimo desempenho reprodutivo, o que aumenta a rentabilidade do produtor. Não é mera coincidência que muitos pecuaristas investem nessa magnífica raça.

Além disso, as fêmeas Angus apresenta capacidade materna singular, com intervalos curtos entre partos, o que aumenta ainda mais a eficiência reprodutiva da raça. Todas essas características da vaca Angus proporcionam ao pecuarista vantagens econômicas surpreendentes, já que são produzidos mais bezerros por hectare.

Sem falar que “os partos são mais simples quando comparados aos de outras raças bovinas. O motivo é que o bezerro Angus apresenta porte médio e peso relativamente baixo, o que não sobrecarrega o ventre da vaca. Consequentemente, o parto ocorre sem maiores riscos”, afirma Paulo Eduardo Fonseca Loureiro, professor do Curso CPT Cruzamento Industrial Red Angus X Nelore.

Outra importante característica do rebanho Angus é a precocidade da raça. Com isso, o produtor consegue abater os novilhos ainda jovens. Como a demanda do mercado é alta, esta vem a ser uma outra grande vantagem para quem investe na raça.

Fora que o Angus apresenta boa rusticidade, o que permite sua adaptação em diversas regiões com condições climáticas diversas. Sem falar na capacidade de resistir a doenças e responder favoravelmente a diferentes sistemas de criação. Por esses motivos, a raça tem se expandido no país e não somente no Sul, como quando foi introduzida no Brasil.

Mas de todas as vantagens da raça de bovino Angus, a que mais se destaca é a qualidade da carne, que é macia, tenra e saborosa, seja qual for o tipo de corte. A carne do bovídeo Angus apresenta entre 3 milímetros a 6 milímetros de gordura bem distribuída, o que garante maciez e sabor diferenciados.

Conheça os Cursos CPT da Área Gado de Corte:

Cruzamento Industrial Red Angus X Nelore

Cruzamento Industrial Limousin X Nelore

Como Aumentar a Rentabilidade na Pecuária de Corte

Fonte: MF Rural

Por Andréa Oliveira

Mais Artigos Relacionados

Quais as doenças mais comuns em bezerros?

Uma das fases mais críticas da criação de bovinos ocorre nas semanas iniciais de vida dos bezerros. Devido à baixa imunidade por serem muito novos, eles são frágeis e vulneráveis a doenças. Sendo assim, “o pecuarista deve monitorar continuamente esses animais. Se constatada alguma anormalidade, deve-se procurar um médico veterinário para um tratamento rápido e eficiente.

Quais os benefícios da descorna em bezerros?

São vários os benefícios da descorna em bezerros, como torná-los mais dóceis e, consequentemente facilitar o manejo, além de reduzir o índice de acidentes na lida com os animais. Na mochação, garantem-se o bem-estar do bovino e a segurança do vaqueiro, ou responsável por manejar o animal. Mas ela deve ser deve ser realizada em bovinos jovens com até 30 dias de vida.

4 importantes etapas da transferência de embriões em bovinos

A transferência de embriões remove embriões do trato reprodutivo da fêmea doadora e os transfere para fêmeas receptoras. Trata-se de uma importante ferramenta para incremento da oferta de material genético melhorado, capaz de colaborar com a multiplicação do rebanho, geneticamente superior, facilitando sua disseminação.