Quais os estágios do parto em vacas?

“Normalmente, o parto em vacas acontece em três estágios distintos. Torna-se essencial ao pecuarista conhecer cada estágio, para tomar a melhor decisão diante de imprevistos. Em alguns casos, como em partos gemelares, ou quando os bezerros são muito grandes, a assistência de um médico veterinário se faz necessária”, explica Luciano Patto Novaes, professor do Curso CPT Manejo da Vaca Gestante no Parto e Pós-Parto.

Primeiro estágio


O primeiro estágio do parto começa com a dilatação do colo do útero da vaca. Quando normal, ele se mantém fechado até a dissolvição do tampão cervical. No estágio 1, a dilatação cervical tem início de 2 a 24 horas antes do fim do parto. Geralmente, isso ocorre de 2 a 6 horas. As contrações começam mais leves, para o relaxamento do colo do útero, até se tornarem mais fortes, até a dilatação cervical completa.

No fim do primeiro estágio, mudanças comportamentais na vaca podem acontecer (ou não). Quando acontecem, podem surgir alguns sinais, como aumento da secreção mucosa e elevação da cauda. Além disso, o relaxamento pélvico próximo às pinças passa a ser visível, como se ambos os lados da cauda estivessem afundados.

Segundo estágio


O segundo estágio do parto corresponde ao parto em si. Ele tem início, quando o feto e a bolsa d’água se encaixam no canal pélvico da vaca, e termina no momento em que o bezerro nasce. Embora, em alguns casos, esse estágio possa durar de 2 a 5 horas, normalmente dura 30 minutos, para vacas adultas, e 60 minutos para novilhas, pois nestas nunca houve expansão do tecido mole e a abertura pélvica é menor.

Por outro lado, as vacas adultas já pariram anteriormente, o que faz com que a dilatação pélvica seja mais rápida. Nesse sentido, o nascimento do bezerro ocorre em menos tempo. Salvo exceções, como em parto de gêmeos e quando o bezerro é grande demais. Nesse caso, o pecuarista deve chamar um médico veterinário com urgência. Já em um parto normal, a própria vaca faz todo o trabalho.

Terceiro estágio


O terceiro estágio do parto refere-se à expulsão da placenta. Quase sempre, isso ocorre em menos de 8 a 12 horas. Entretanto, após esse período, pode haver retenção da placenta. Mesmo assim, não é recomendado removê-la manualmente. Os principais motivos são os danos ao útero da vaca e a redução das taxas de concepção. Nesse caso, um médico veterinário deve ser chamado para prescrever antibióticos, que evitam infecções e fazem com que a placenta seja expulsa em menos de sete dias.

Conheça os Cursos CPT da Área Gado de Leite:

Manejo da Vaca Gestante no Parto e Pós-Parto

Bezerras de Raças Leiteiras - Do Nascimento ao Desaleitamento

Enquanto o Veterinário Não Chega - Atendimento a Bovinos

Fonte: Milk Point

Por Andréa Oliveira

Mais Artigos Relacionados

Quais as principais vantagens da pesagem de bovinos?

A pesagem dos bovinos é uma prática indispensável em todas as fases da criação, pois permite ao pecuarista avaliar o ganho de peso do animal, o índice de desenvolvimento do animal e o potencial de produção da pastagem. Por meio dela, também é possível pesquisar os indicadores econômicos do rebanho e selecionar os animais para melhoramento genético.

Como cuidar da saúde do úbere das vacas leiteiras?

Cuidar da saúde do úbere das vacas leiteiras é primordial para produzir leite de qualidade. Um dos principais cuidados para a manutenção de um úbere saudável é com a alimentação da vaca leiteira, que deve ser rica em vitaminas e minerais, principalmente vitamina A, vitamina E, cobre, selênio e zinco.

Tudo o que você precisa saber sobre feno

O feno pode ser composto por aveia (Avena sativa), azevém (Lolium multiflorum), cevada Hordeum vulgare), coast-cross (Cynodon dactylon) e outras gramíneas. Além disso, ele pode ser constituído de algumas espécies leguminosas, como alfafa (Medicago sativa) e trevo (Trifolium). Entretanto, elas devem ser cortadas antes da floração.